Archive

You are currently browsing the archives for the Uncategorized category.

Jan

18

O Ano do Tigre

By admin



Consciência e Vigor

Quando observados pelos “comuns”, nos parecemos “diamantes brutos” e em sua maneira mundana de perceber, somos vistos como “ferramentas”.

Ás vezes os “parasitas” que nos circundam, se valem de nossa fúria e nos incentivam á guerra conquistando assim através de nós os seus objetivos pessoais.

Eles astutamente, mesmo percebendo que nossa direção não está correta, não nos avisam, por que no momento certo será este o elemento usado para nos descartar.

Nossa vontade ferrenha, determinação imbatível,olhos de fogo e mente de luz;nunca poderão caminhar amistosamente com a falta de direção ou a presença de uma direção equivocada.

Está aí o grande problema que tem em si a grande solução.

Aliar o emocional ao racional,não permitindo que um seja separado do outro,por que eles são gêmeos xipófagos, embora tenham corpos diferentes,possuem um único cérebro.

Ainda assim encontrar a direção certa é tarefa das mais Hercúleas.

A direção com relação ao passado.

Nunca poderemos escolher um território onde já lutamos e perdemos ou não fomos muito felizes. Uma boa olhada pelo retrovisor nos fará ver se não estaremos repetindo um padrão que já se mostrou ineficaz.

A direção com relação ao futuro.

A pior expressão que existe é aquela: “Eu vivo apenas o presente”.

Os sábios africanos Mazai dizem: “O futuro só será bom se o passado estiver no presente”.

Planejar o mês, o ano, os próximos cinco anos; pode ser muito útil para que estabeleçamos metas e objetivos.

A maioria das pessoas dizem que não avançam por que não tem os recursos necessários.Quando planejamos e colocamos no papel um belo projeto,fazemos uma primeira visita ao universo do que desejamos.É por isso que ás vezes não obtemos o que planejamos,mas o plano nos leva a outras vitórias.

A direção com relação ao outros.

Toda decisão afeta nossas vidas e ás vidas ligadas ás nossas. É impossível ser feliz ou infeliz sozinho. Quando escolhemos a direção, devemos avaliar quem vai estar no caminho e descobrir por tanto,quem vamos eliminar e quem vamos acolher.

Pessoas serão sacrificadas no processo, assim como outras serão contempladas com benefícios. Esta avaliação pode poupar muito tempo e reduzir esforços.

O fogo dos olhos não é para queimar ninguém, é para iluminar nossos passos. Mas não podemos gastar fogo sem objetivo, a vida passa e logo não teremos luz para iluminar tão longe como fazemos hoje.

A direção com relação independência.

Quando Dom João ia voltar a Portugal, perguntou ao príncipe Pedro se ele queria ficar no Brasil. O príncipe regente disse que sim e o rei disse:

_ Gosto muito da vida no campo, não sou de cidades, gosto de calma. Espero que você construa bem este “posto” por que todo homem deve buscar a independência. Sou rei, se não me tirarem a coroa , morrerei rei,mas invejo o homem que pode construir e sentir a independência.

Nós precisamos pensar o que é independência, do ponto de vista particular. Não o que você fala para outras pessoas,mas aquela independência inconfessável, que você conquistará e sempre que saboreá-la terá um leve e lindo sorriso no rosto.

Uma espécie de ”safadeza divina e positiva”, coisa de santo ou anjo, algo pessoal como o segredo de um tesouro, que você terá que treinar muito bem o seu filho para o dia em que ele for um príncipe regente, você possa lhe entregar o mapa.

Nossa fúria por viver, por vencer, por amar;não pode ser vitimada pela falta de direção ou pela escolha equivocada de onde aplicar a oportunidade que chamamos “vida”.

Feliz 2010

Máster Tue Ho.

Sep

21

Templo Lo Han Ssu cerimônia de corte 2009

By admin

Sep

21

Templo Lo Han Ssu Viet Vo Dao Brasil

By admin

Jul

2

O ideal Shaolin.

By admin

O momento Shaolin na China

Na China,mais precisamente na província de Henan,está o monastério Shaolin,com mais de 1500 anos de idade.Nos dias de hoje,em plena explosão econômica chinesa,o monastério também se vê em um momento de grande prosperidade.Dezenas de escolas surgiram em torno do monastério,para abrigar os praticantes de artes marciais do país e do exterior,que chegam aos milhares.Sabemos hoje,que oficialmente estão inscritos 8000 alunos.Nestas escolas,eles aprendem as matérias tradicionais de ensino fundamental e ensino médio,um conjunto com cursos técnicos e a arte marcial como base para a alta performance e disciplina.

Com a abertura da China para o turismo,tornou-se possível viajar para as províncias de Henan e Hubei ,em busca dos locais sagrados onde nasceram e foram desenvolvidas as artes do Kung Fu e Tai Chi Chuan.

Hoje o turismo marcial e religioso,pôs estas províncias no “hall da fama” em todo o mundo e o progresso chegou com toda a sua força.

Podemos ver nesta região,uma ferrovia reestruturada,estradas em excelente estado,telefonia,internet,postos de saúde,linhas de vans e táxis,comércio pulsante,segurança reforçada,saneamento de lixo,esgoto e água aperfeiçoado e uma organização local voltada para “serviços”,que envolve toda a população que trabalha direta ou indiretamente ligada ao turismo.

As perdas que acompanham o ganho tecnológico.

Nossas crianças tem cada vez mais dificuldades em aprender.Sofrem muito com o excesso de alimentos que engordam mas não nutrem.Têm problemas com disciplina e não possuem escalas de valores adequadas.Os pais mimam cada vez mais,controlam cada vez menos e falham vergonhosamente em educa-los para o futuro quando serão adultos e irão para o mundo cada vez mais perigoso em que vivemos.

Nós adultos,somos as vítimas da confusão,da falta de tempo,do excesso de aborrecimento e preocupações,dos medos cotidianos e das frustrações tão aniquilantes que nos perseguem.Dormimos mal,comemos mal,respiramos mal,temos postura corporal incorreta,temos postura emocional incorreta,espiritualmente lutamos desesperadamente por soluções e muito mais.Somos sobreviventes de um sistema perverso e precisamos de descanso,mas de um tipo especial de descanso : O descanso ativo e restaurador.

Nossos idosos,são oriundos da vitimização social que atinge a todos nós não importando classe social,raça ,credo ou escolaridade.Fala-se muito em terceira idade,estatuto do idoso,atividade para a melhor idade etc.O que percebo é “idiotizaçaõ” do idoso,não possibilitando a ele a recuperação das perdas fisiológicas impostas pela idade e conseqüentemente, empurrando-o para uma existência vazia onde o que resta é apenas a espera pelo momento da falência dos órgãos e a morte eminente.

A resposta oriental

Os métodos orientais de conservação da saúde e longevidade,atuam nas crianças ,nos adultos e nos idosos,atendendo ás suas necessidades de maneira muito eficiente,construtiva e digna.

Métodos como o dinâmico Kung Fu,o suave e belíssimo Tai Chi Chuan ,a sofisticada arte do Tiro Zen com arco e flexa , “meditação com tiro”, vigorosa esgrima Samuray Iai Do,a meditação sentado ou andando Zazen,são métodos saborosos e altamente eficientes.

É possível depois de milênios de aprimoramento,encontrar nestas artes as soluções para nossas necessidades tão modernas e ao mesmo tempo tão basilares e antigas.Tenho experimentado cada método destes ao longo de 33 anos de trabalho,milhares de pessoas já passaram por minha tutela e pude imprimir em cada uma delas,um selo de “guerreiro da paz” para que cada um pudesse,armado por mim,lutar e vencer a guerra por uma vida melhor e tão almejada paz de espírito e grandeza de alma.

É com profunda fé e compaixão que realizo este trabalho, e com grande esperança em poder contribuir para que os métodos antigos retornem ao uso de todos e com a necessária competência,façam sua parte no trabalho de levar a raça humana longe na estrada do tempo.

Meu esforço tem sido em função de me preparar e preparar outros para esta importante missão,não podemos mais aceitar a idéia de que …

O homem é um cadáver adiado”.

Devemos ver cada trabalho, cada esforço e cada novo projeto,como uma oportunidade de celebrar a vida e enquanto vivos, fixar as bases para o futuro de nossos irmãos terrenos.

Templo Lo Han Ssu 20 de Dezembro de 2007

Manhã chuvosa e fria que pede um chá quente e um mergulho nas idéias.

Jul

2

O MONGE ANURUDHA

By admin

O jovem Anurudha, era um dos muitos primos do Sr Buddha. Um dia lhe ocorreu que sua família era muito afortunada, além de serem do clã dos Sákyas, governantes monárquicos do Nepal, também tinham o supremo privilégio de serem parentes do Iluminado.

Anurudha era muito inteligente e bonito, sempre se destacava em todas as atividades principescas onde orgulhosamente exercia natural liderança.

Chegado o dia de sua partida para encontrar o Sr Buddha, o companheiro príncipe que seguiria com ele desistiu, alegando que a vida de “irmãos sem lar” era muito desconfortável e arriscada e que o rigor do treinamento religioso era quase que insuportável.

Anurudha foi aceito na ordem para iniciar seus treinamentos e logo se destacou pela perseverança. Mas seu orgulho lhe impedia o progresso espiritual. Ele ansiava por mais conhecimento e praticava a meditação intensa mais do que os outros, sempre buscando ser o melhor e dar o máximo de si mesmo para a ordem monástica.

Um dia, já cansado de tanto instruir e tentar encaminhar o jovem Anurudha, o monge Mongalana, o enviou ao Sr Buddha. Chegando á presença do Altíssimo Mestre, sua emoção era imensurável, havia muita Luz nele mas também muita ansiedade e orgulho.

Depois deste encontro e instruções, o jovem Anurudha pôde se sentar em meditação com os monges principais mais próximos do Sr Buddha.

Um dia porem, durante a meditação matinal, o jovem monge adormeceu. Estava cansado de tanto treinar e estudar e não suportou a meditação sucumbindo ao sono.

Ao ser despertado, ficou profundamente envergonhado e prometeu que nunca mais dormiria na vida.

Certa vez ele viajava em missão religiosa,quando foi pedir comida em uma casa.Sem que soubesse,a mulher que habitava a casa era uma famosa prostituta.Ao vê-lo, ela ficou fascinada com sua beleza e porte altivo e decidiu seduzi-lo.Mas o monge não aceitou entrar na casa, permaneceu no quintal sob uma árvore e meditou alguns instantes antes de fazer a refeição.

Quando o monge havia terminado a refeição e o chá,a prostituta se aproximou com intenção de cobrar dele favores sensuais em pagamento pela oferenda. Mas ao se aproximar,foi tomada por intensa reverência e ouviu dele uma explanação sobre o dharma.Depois que ele partiu,a prostituta vendeu a casa e foi residir em uma localidade onde não fosse conhecida e lá,dedicou o resto de sua vida ao budato.

A força espiritual de Anurudha crescia a cada dia e mais e mais ele se esforçava tornando impossível para os outros monges segui-lo nas práticas.

O Sr Buddha o repreendeu severamente para que não exagerasse, mas mesmo assim o jovem monge não reduziu seus esforços e acabou por perder completamente a visão.

O cego Anurudha era o primeiro em erudição e o mais notável na direção e instrução dos monges recém chegados.

Durante uma assembléia com milhares de monges,o cego monge Anurudha estava sentado a uma pedra costurando os mantos rasgados.O Sr Buddha ao vê-lo com dificuldades para colocar a linha na agulha,correu a ajuda-lo.Imediatamente um jovem monge se precipitou dizendo:

_Mestre o senhor deixe que eu faça isto,esta tarefa não está a altura do Iluminado.

O mestre bondosamente respondeu:

_ Filho,faça sempre o bem,mesmo um tão pequeno que passe pelo buraco de uma agulha! Nunca perca uma oportunidade de fazer o bem.

Um dia,durante uma viagem no verão abrasador da Índia,os monges se detiveram em baixo de algumas árvores para descansar.Havia um pequeno lago á frente e todos foram lá para beber.A água estava turva e era quase insuportável o seu sabor.Alguns viajantes que estavam também ali descansando,viram o monge Anurudha,tateando em direção á água mas nada disseram para avisa-lo.Com uma cuia de madeira,o monge colheu um pouco d´água e os outros monges se aproximaram,inclusive o Sr Buddha e beberam alegremente.Um dos viajantes se aproximou para ver os monges bebendo água podre e quem sabe dar umas boas risadas.Mas quando se aproximou,viu que a água colhida por Anurudha estava limpa e fresca e que aquele poderoso monge com sue imenso amor,detinha também imensurável poder sobre natural.

Após a morte do Sr Buddha,os monges se reuniram no pico dos abutres durante uma assembléia especial.Muitos reis,príncipes,e protetores do budato compareceram.As discussões foram muito longas e importantes para a continuidade da grande ordem.

Uma noite,após os não monges se recolherem,os mais velhos se prepararam para uma instrução especial.Neste momento o cego monge Anurudha anunciou que finalmente podia enxergar.Ele estava vendo o Sr Buddha no topo de uma rocha.Ele descreveu com precisão os detalhes do ambiente nunca visto por ele antes,para provar que dizia a verdade,mesmo sabendo que ninguém duvidaria dele,este santíssimo monge.

O monge Mongalana o seguiu no avistamento do Sr Buddha e todos os que ali estavam,foram tomados de grande arrebatamento espiritual e atingiram altíssimos níveis de Iluminação (samadhi) e Sabedoria Transcedente (prajna).

É costume e tradição,nos referirmos a este dia como o “dia da chuva das folhas de ouro e prata”.

Por que dizem que as árvores outonais,fizeram descer sobre a assembléia de monges uma chuva dourada e prateada,de folhas repletas de compaixão (ouro) e sabedoria (prata).


Monge Tue Ho Anselmo.

Jul

2

Um passo em direção a Deus

By admin

Quando você dá um passo em direção a Deus, Ele dá dois passos em sua direção.Ao longo de toda minha vida,enquanto buscava meus ganhos, suportava minhas perdas e sonhava tornar possíveis as mais variadas impossibilidades, sempre meditei sobre como eu poderia transformar minhas ações em passos em direção a Deus.

Mesmo não descobrindo se estava certo em minhas passadas, continuei caminhando e fiz da retidão dos atos, minha bússola.

Nunca fiz de minhas buscas, uma batalha para encontrar as benesses divinas.Tive incontáveis provas da existência de algo maior e muito poderoso,a movimentar grandes massas de energia envolvente em cada situação.A companhia dos espíritos, nunca deixou de se fazer notar, mas foi nos momentos de alegria maior, que percebi a mão acalentadora do maior de todos os auxiliares invisíveis.

A maioria das pessoas, se conectam com o divino, nos momentos de maior necessidade ou desespero.Durante os momentos de conforto, a utilidade imediata deste importante fator protetivo, é deixada de lado.

Meu exemplo pessoal é que justamente nos momentos em que estamos mais á vontade com a vida e com o mundo, estamos mais inteiros para dar passos em direção as forças maiores.

A mudança que tenho pregado em minha carreira monástica, é aquela em que abandonamos a atitude de pedinte, e nos postamos como verdadeiros reflexos do mais poderoso elemento universal.

Caminhar em direção ao pai ou mãe, como o filho que repleto de luz e bom sucesso, retorna para casa e com alegria e vitória, dá aos pais o presente de seus passos firmes.

Caminhar com firmeza nos permite levantar o rosto.Elevar a fronte, nos permite o reconhecimento por parte Daquele que nos vê.Erguer a face, nos permite receber o calor do Sol ou beijo doce e refrescante da Lua.

As lágrimas rolam de maneira nobre, quando olhamos em frente.

Quando choramos em posição de “sentido”, as lágrimas de honra, não queimam a face, não nos acovardam e misturadas com a poeira que levantamos com os passos dados em nossa busca por realizações, criam uma substancia mágica que irá curar nossas feridas de batalha, e fazer com que estejamos bem para sermos percebidos por Ele cada vez que dermos um passo em Sua direção.

Quando Deus der um passo em sua direção, não dê dois passos em direção a Ele.Espere um instante, dê uma olhada em si mesmo, certifique-se de que está apresentável e que resistirá a tentação de choramingar suas perdas e fazer pedidos infantis.

Não O decepcione, por que, se for Deus a vir em sua direção, você estará acobertado por imensa compaixão, mas se for o demônio, ele se valerá de sua fraqueza e você descobrirá que deu um salto de muitos metros em direção ao fracasso.

Não lamente, caminhe

Autor: Abade do templo Lo Han Ssu : Tue Ho Anselmo Bezerra

Jul

2

PALAVRAS DE FOGO

By admin

VESAK 2009 – 27º ANO DO TEMPLO LO HAN SSU

Em 1982 o templo Lo Han Ssu foi fundado com o propósito de oferecer á população de Petrópolis um local onde todos pudessem encontrar o Oriente. O enorme fascínio que a Ásia sempre exerceu sobre os ocidentais, na maioria das vezes, se transformou em decepção devido ao despreparo das pessoas responsáveis pela transmissão da orientalidade.

Foi pensando nisso e no preparo a que fui submetido por muitos anos de minha vida, que me senti muito á vontade para realizar este trabalho.

Fui abençoado com a extrema sorte de ser neto do mestre Gen Adaw (Índia) e ter sido criado na casa de meu mestre principal, o Vietnamita Nhyuen Sho Ih (a partir de 1965).

Ao longo de minha vida encontrei outros importantes mestres tais como o meu mestre de Esgrima tradicional japonesa H. Saito e meu mestre de Zen Budismo e Kyu Do (arqueria Zen) T Sanko.

Meu mestre de Budismo Theravadha, Don Jayanety Kulatunga (Ceilão) também foi de grande importância em minha vida, inclusive foi incentivado por ele que viajei para Hong Kong em busca de pós-graduação e aperfeiçoamento.

Quando iniciei em 1982 o Templo Lo Han Ssu em Petrópolis/RJ, minha decisão foi de transmitir o mais fiel e eficientemente possível os ensinamentos destes mestres maravilhosos.

Fiz este trabalho nos últimos 27 anos com muito sacrifício e orgulho. Sou hoje um orientalista reconhecido nacional e internacionalmente, levando o nome do Brasil principalmente para a Europa onde centenas de praticantes disputam lugar em seminários que conduzo como mestre e monge.

É maravilhoso ouvir das pessoas que o que mais as encanta além dos valiosos ensinamentos, é o fato de eu ser brasileiro e mesmo não sendo oriental de nascimento, consigo dar a eles a tão desejada sabedoria.

Isaac Newton dizia: “Vi mais longe por que subi em ombros de gigantes”.

Respondo sempre aos elogios culpando meus mestres pelas maravilhas, e respondo sempre ás raras críticas dizendo que provavelmente aquilo que não pareceu correto, foi obra de minha natureza interior ainda em formação.

Em todo o Brasil nos locais onde desempenho meu trabalho, me deparo sempre com gente muito capaz, luminosa e sedenta por conhecimentos. O que me entristece é perceber o quanto pequena é a auto estima destas mesmas pessoas.

Minha mensagem é sempre construtivista no sentido de que eles nunca aceitem rótulos diminutivos, nunca permitam objetivos rasteiros ou mente pessimista.

Sempre que encerro o trabalho em qualquer lugar que seja, deixo para meus ouvintes apenas duas opções: “Se não puderem ser brilhantes no que fazem em suas vidas, sejam no mínimo competentes. Nunca aceitem menos que a Luz”.

Tenho imensa honra e alegria por representar, através de meu trabalho, algo tão grandioso. A filosofia, religião, arte marcial, medicina e a história do oriente, são para mim as ferramentas educacionais que utilizo para dar minha contribuição a este povo maravilhoso, de Petrópolis e de todo o Brasil. É um trabalho árduo e nem sempre compreendido, mas me submeto ao compromisso de sempre perseverar nesta empolgante missão.

Recebo a generosidade daqueles que não me criticam e o amor daqueles que me recebem como irmão em todos os lugares. Amo-os e agradeço!

O monge Bodhidharma (fundador do Kung Fu e do Zen) dizia que CURA É AMOR EM AÇÃO. Eu lhes digo que EDUCAÇÃO TAMBEM É AMOR EM AÇÃO, e que um mestre só pode permitir que o tratem por “MESTRE” se estiver repleto de AMOR por seu trabalho e por aqueles que dele se valem para crescer e viver melhor.

Vesak 2009

27º aniversário do Templo Lo Han Ssu de Petrópolis RJ

Tue Ho Anselmo Bezerra Monge fundador.