Jan

18

O Ano do Tigre

By admin



Consciência e Vigor

Quando observados pelos “comuns”, nos parecemos “diamantes brutos” e em sua maneira mundana de perceber, somos vistos como “ferramentas”.

Ás vezes os “parasitas” que nos circundam, se valem de nossa fúria e nos incentivam á guerra conquistando assim através de nós os seus objetivos pessoais.

Eles astutamente, mesmo percebendo que nossa direção não está correta, não nos avisam, por que no momento certo será este o elemento usado para nos descartar.

Nossa vontade ferrenha, determinação imbatível,olhos de fogo e mente de luz;nunca poderão caminhar amistosamente com a falta de direção ou a presença de uma direção equivocada.

Está aí o grande problema que tem em si a grande solução.

Aliar o emocional ao racional,não permitindo que um seja separado do outro,por que eles são gêmeos xipófagos, embora tenham corpos diferentes,possuem um único cérebro.

Ainda assim encontrar a direção certa é tarefa das mais Hercúleas.

A direção com relação ao passado.

Nunca poderemos escolher um território onde já lutamos e perdemos ou não fomos muito felizes. Uma boa olhada pelo retrovisor nos fará ver se não estaremos repetindo um padrão que já se mostrou ineficaz.

A direção com relação ao futuro.

A pior expressão que existe é aquela: “Eu vivo apenas o presente”.

Os sábios africanos Mazai dizem: “O futuro só será bom se o passado estiver no presente”.

Planejar o mês, o ano, os próximos cinco anos; pode ser muito útil para que estabeleçamos metas e objetivos.

A maioria das pessoas dizem que não avançam por que não tem os recursos necessários.Quando planejamos e colocamos no papel um belo projeto,fazemos uma primeira visita ao universo do que desejamos.É por isso que ás vezes não obtemos o que planejamos,mas o plano nos leva a outras vitórias.

A direção com relação ao outros.

Toda decisão afeta nossas vidas e ás vidas ligadas ás nossas. É impossível ser feliz ou infeliz sozinho. Quando escolhemos a direção, devemos avaliar quem vai estar no caminho e descobrir por tanto,quem vamos eliminar e quem vamos acolher.

Pessoas serão sacrificadas no processo, assim como outras serão contempladas com benefícios. Esta avaliação pode poupar muito tempo e reduzir esforços.

O fogo dos olhos não é para queimar ninguém, é para iluminar nossos passos. Mas não podemos gastar fogo sem objetivo, a vida passa e logo não teremos luz para iluminar tão longe como fazemos hoje.

A direção com relação independência.

Quando Dom João ia voltar a Portugal, perguntou ao príncipe Pedro se ele queria ficar no Brasil. O príncipe regente disse que sim e o rei disse:

_ Gosto muito da vida no campo, não sou de cidades, gosto de calma. Espero que você construa bem este “posto” por que todo homem deve buscar a independência. Sou rei, se não me tirarem a coroa , morrerei rei,mas invejo o homem que pode construir e sentir a independência.

Nós precisamos pensar o que é independência, do ponto de vista particular. Não o que você fala para outras pessoas,mas aquela independência inconfessável, que você conquistará e sempre que saboreá-la terá um leve e lindo sorriso no rosto.

Uma espécie de ”safadeza divina e positiva”, coisa de santo ou anjo, algo pessoal como o segredo de um tesouro, que você terá que treinar muito bem o seu filho para o dia em que ele for um príncipe regente, você possa lhe entregar o mapa.

Nossa fúria por viver, por vencer, por amar;não pode ser vitimada pela falta de direção ou pela escolha equivocada de onde aplicar a oportunidade que chamamos “vida”.

Feliz 2010

Máster Tue Ho.

One Response so far

Highly recommended Online site…

» O Ano do Tigre…

Leave a comment