Nov

19

TUAN LIEN

By admin

Disciplina Extraordinária

 

O budismo é essencialmente auto disciplina. Assumimos o controle total de nossas vidas e nos submetemos a um permanente programa de treinamento para que possamos atingir estados especiais de desenvolvimento físico, mental e espiritual.

 

A fé budista é a fé no Sr Buddha, e a fé no Sr Buddha é, principalmente, compreender que mesmo Ele continuou praticando após ter se Iluminado.

Sua vida de serviços sempre era cercada de auto treinamento para a maturação da Iluminação e aprimoramento das pessoas á sua volta.

 

Devemos ter compromisso com a acumulação de méritos através de nossas ações, e a prática da transferência destes méritos a todos os seres sensíveis da Terra, e aos antepassados.

 

Nós ocidentais, estivemos em todas as nossas vidas submersos no ambiente cristão. O fato de praticarmos a fé budista nos reforça ainda mais em nossos sentimentos de amor  para com o Sr Jesus.

O respeito pela fé alheia, o não julgamento ou confronto, são elementos muito importantes. Mesmo quando atacados, incompreendidos ou ofendidos por outros religiosos, devemos manter a atitude limpa e despojada do sentimento de revés.

 

Os cuidados com a família, os amigos, o meio ambiente e o mundo espiritual, também são obrigações do budista.

Mesmo os espíritos desencarnados precisam de compreensão para que possam seguir para sua próxima etapa. Qualquer ajuda que nossos atos no dia a dia ou nas práticas religiosas possa enviar para eles, também trará benefícios para nós. Somos operários da obra espiritual assim como trabalhamos por nossas vidas seculares.

 

O Sr Buddha nos pediu que fossemos a Luz, não nos pediu para converter pessoas. Pediu que fossemos um exemplo tão bom que todo ser humano ou espírito pudesse ver em nós um guia para a jornada em direção á plena atenção e á correta compreensão.

 

 

 

MAHAKARUNAN

Compaixão  Imensurável

 

Muitas pessoas confundem compaixão com caridade.

O sentimento de compaixão eleva o ser humano á condição de Bodhisatva, o ser protetivo que compadecido da condição de outros seres os auxilia e protege.

A caridade é a ferramenta do compassivo, doar de si mesmo é Dhana, e a realização dos atos caridosos sempre resulta em bem comum e benefício próprio.

 

No budismo temos em mente que todos os seres estão ligados, é como se cada pessoa fosse uma célula de um grande tecido. O tecido forma um órgão, o órgão forma um organismo, e o organismo forma um corpo.

Cada pessoa é uma parte muito pequenina de algo imensurável, mas se uma pessoa se perde, todo o tecido adoece, e também o órgão, também o organismo e o corpo.

 

Assim como um corpo infectado fica febril para reagir ao ataque, toda a existência reage quando alguém se perde, assim como se rejubila quando alguém se Ilumina.

Cada ser humano é altamente importante para todo o complexo que chamamos vida, e qualquer esforço para que mais pessoas atinjam a condição de Bodhisatva deve ser feito.

 

A maior caridade que se pode prestar é transmitir o dharma  (conhecimento do Sr Buddha) e assim contribuir não só para a continuidade e melhora  de nosso mundo, como também para as necessidades do mundo espiritual.

Nossas responsabilidades individuais e coletivas são enormes e o espírito de compaixão é a embalagem perfeita para nossa sabedoria.

 

Praticar o bem

Evitar o mal

Purificar corpo e mente

Este é o conselho do Sr Buddha.

 

Monge Tue Ho Anselmo Bezerra.

Templo Lo Han Ssu  de Petrópolis/RJ - Brasil.

Leave a comment